O que fazer com o erro?


Você errou...isso mesmo, você errou. Mas, todo mundo erra, e com você não seria

diferente. A primeira reação é a negação, você não aceita, não percebe e não assume que

errou, e esse pode ser o primeiro passo para o abismo que se abre diante de você.

O erro está determinado pela tentativa dos acertos, só erra quem tenta acertar. As pessoas

não erram propositalmente, elas erram acreditando que estão acertando. E quando

percebem erraram. Assumir pode se tornar um longo e doloroso caminho, traçado

obrigatoriamente, por aquele que pretende extrair algum aprendizado disso tudo.

Persistir no erro pode fazer com que você se prenda em uma enorme bolha, acreditando em

possibilidades, que nunca acontecerão e ainda farão de você uma pessoa ainda mais

frustrada. Você não erra sempre, também não precisa radicalizar e assumir toda a culpa do

mundo. A culpa é apenas um sentimento sinalizador de algo precisa ser mudado. Utilize a

culpa a seu favor, se martirizar não vai consertar o erro. Portanto sinta, viva e elabore a

culpa.

Assumir o erro é o primeiro passo para a mudança, o erro na rota, indica que é necessário

mudar o caminho, utilizar um outro meio para chegar, ou que você precisa abandonar o

carro e seguir o caminho. O que importa é a mensagem, mudança. enquanto você continuar

acreditando que o mundo está errado e que você está correto, você continuará persistindo

no mesmo ERRO

7 visualizações

Sônia Portes Psicóloga e escritora da Coleção - O Mundo de Tina